Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Gato Pardo

Para quem conhece, vocês estão mais que vacinados. Vocês não conhecem isto? São maiores de idade? Trazem o vosso cartão de cidadão, boletim de vacinas e resgisto criminal? Não? Fantástico!!!

Gato Pardo

Para quem conhece, vocês estão mais que vacinados. Vocês não conhecem isto? São maiores de idade? Trazem o vosso cartão de cidadão, boletim de vacinas e resgisto criminal? Não? Fantástico!!!

Back to school. Kind of...

27.11.13publicado por Gato Pardo

Question.

O que leva um ex aluno voltar ao seu estabelecimento de ensino preferido passados 15 anos?

Respostas possíveis.

- Uma garrafa de absinto que foi enterrada nas imediações do jardim na altura o que levando em conta a capacidade de envelhecimento do álcool, seria merecedora de ser desenterrada com pompa e circunstância.

- Uma piela ciclónica de classe 5, possivelmente por causa da dita garrafa de absinto. O único problema é que a garrafa está enterrada dentro das instalações, o que anula por completo esta hipótese.

- Ter um amigo que trabalha na secretaria do dito estabelecimento e nunca se recusa um café de borla (e uma visita guiada ao sítio onde se foi tão feliz durante 3 anos de pseudo ensino).

Primeiro que tudo, o próprio edifício mudou. Tipo, 3/4 dele foi demolido com uma bola de demolição, gruas e afins e construído algo mais sui generis. Ou seja, tirando a escadaria principal tudo o resto me era desconhecido. Chego à entrada, sou barrado por uma senhora. Perguntam-me ao que venho. Ocorreu-me dizer algo do género "se o vosso café é tão bom como 15 anos atrás, fiz 60kms só para ter o prazer de me vomitar todo mas bateu aquela saudade da moagem ranhosa..." ou "o refeitório ainda afirma servir peixe com ar de um ET que levou com uma sonda anal durante 3 dias consecutivos?" mas fiquei-me pelo "assuntos de secretaria". Toca a deixar identificação e número de telemóvel e tentar descobrir onde raio ficava a secretaria. Senti-me um verdadeiro Jack Sparrow. Não por ir a cambalear, ter uma fala arrastada ou abrir caminho pelos estudantes à espadeirada. Simplesmente porque encontrar aquela maldita sala foi pior que uma caça ao tesouro. Ah, e sim, encontrei dois professores do meu tempo (um deles fiquei com a nítida sensação que vi o horror estampado no rosto dele, o que significa que houve contacto visual com a minha pessoa...).

Devo admitir que os putos nesta escola têm hoje em dia condições com as quais a gente nem sequer sonhava nos sonhos mais eróticos. Acesso à net nos corredores via ecrãs tácteis? Very chic, indeed.

Passados 10 minutos, muita volta (Ok, admito. Fui bisbilhotar cada centímetro quadrado daquilo) e reviravolta lá dei com a secretaria. Bebi o café com o meu amigo e encaminhei-me para a saída. Despedi-me da senhora à saída e parei por breves momentos. Não pude deixar de sentir alguma nostalgia do espaço antigo, tal como eu me recordava. Foram 3 anos de memórias que de repente senti algo perdidos, como uma frase que define a tua vida mas que não consegues contextualizar devidamente por falta do palco onde sempre se inseriu.

Fiquei com uma sensação estranha na alma. A modernização toldou o romantismo da imagem que detenho.